OS MELHORES DA MÚSICA DO PIAUÍ

Veja alguns artistas que fazem um ótimo trabalho musical no Piauí e que você deve conhecer quando visitar o Estado:

NARGUILÉ HIDROMECÂNICO

Formado em 1998 no Piauí, o Narguilé Hidromecânico liquidifica muito bem rock e reggae ao forró, marca cultural da região, assim como transpõe situações e expressões do cotidiano do estado em suas letras. Utilizando desde guitarras distorcidas até instrumentos alternativos como zabumba, pandeiro, berimbau, caxixi, triângulo, explorando até os beats eletrônicos e as pick-ups. Com isso, tornou-se uma referência na música piauiense e vem conquistando espaço nacionalmente. Conta agora com os vocais e a criatividade artística de Hernane Felipe, o trabalho mistura reggae, ska, hardcore, entre outros ritmos.
É a banda mais popular do estado e fez show especial no último sábado (16/08/2008) no Espaço Cultural Raízes. Fábio Crazy (vocal) e Júnior B (baixo) da formação inicial se apresentaram acompanhados de André Sousa (guitarra - da Brigitte Bardot) e Sandro (bateria - da Káfila). O show foi matador e saudosista… Impressionante o domínio de palco do Fabio e André mandando ver na guitarra…

ROQUE MOREIRA

A banda Roque Moreira nasceu em 2001, influenciada por um movimento que surgiu nos anos 90 e que buscava incluir as raízes culturais regionais na musicalidade contemporânea. O nome da banda é uma homenagem ao radialista Roque Moreira (grande divulgador da música piauiense) e incorpora o som de pandeiros, zabumbas e flautas aos clássicos instrumentos de percussão tocados nos ritmos rock, funk, rap e reggae. Com apresentações irreverentes e uma levada dançante, a Roque Moreira é garantia de muita animação. Formação: Daniel Hulk (voz, zabumba, sopro), Madão (cavaco, percussão, voz), Raimundo Gutemberg By By (baixo, voz), Samuel Calango (guitarra), Arnaldo Pacovan (percussão) e Otto (bateria).

VAVÁ RIBEIRO
Nascido em Oeiras (PI), Vavá Ribeiro começou a cantar aos 14 anos. Foi um dos finalistas do Festival Canta Nordeste em três edições e também ficou entre os vencedores do festival Cantos do Piauí por mais de uma vez. Com três CDs gravados (Pelos bares da vida, Por essas ruas e Calmaria), o trabalho de Vavá Ribeiro revela a influência de grandes nomes da música popular brasileira, como Chico César, Zeca Baleiro, Lenine e Caetano Veloso.

OS CAIPORA
A banda Oscaipora nasceu na década de 90, com o objetivo de divulgar a cultura popular nordestina através de seu trabalho alternativo que integrava música, poesia, teatro, dança e repente. Hoje é referência no cenário artístico brasileiro, prestigiando grandes autores nordestinos, como Ariano Suassuna, Graciliano Ramos, Luiz Gonzaga e Trio Nordestino, entre outros, em trabalhos embalados por maracatu, funk, black music, soul, ciranda, reisado, forró, boi e embolada. Com esse perfil, Oscaipora criou a “Groove de Parede”, que, a rigor, trata-se de um novo som “de costas para a parede do modismo e de frente para a universalidade da cultura de raiz”. Os sucessos Forró Moderno, Aroeira, Noite Ciranda, Tutóia e Iara são os mais tocados nas rádios piauienses, podendo ser conferidos no primeiro CD da banda a ser lançado ainda este ano. Formação: Roberto Mandi (vocal), Gaspar Tetéu (guitarra), Keko Pantera (baixo), Girão Mambira (percussão) e Sandro Saldania (bateria).

FLAGRANTE
Grupo de rap e hip hop criado em 1999 por ex-integrantes de outras bandas que assumiram um compromisso social com a comunidade negra e pobre do Piauí. O Flagrante é formado pelos vocais de WG, Gil BV, Petecão, Preto Bira e Preto Jr., além do DJ Morcegão. Utilizando a música como instrumento de conscientização da realidade da periferia, a banda combina o rap com os ritmos regionais, como baião, repente e embolada, para contar a realidade dos guetos de Teresina. Os integrantes da banda também estão engajados em projetos sociais, dando aulas de informática, iluminação e serigrafia a jovens carentes, sempre com o objetivo de resgatar a auto-estima do povo preto.

RUBENS FIGUEIREDO
O cantor, compositor e violonista Rubens Figueiredo já participou de diversas bandas, mas sua carreira solo tem garantido grande sucesso ao músico, que lançou seu primeiro CD em 2003.Rubinho, como é chamado, é um instrumentista eclético, tendo dividido palco com nomes como Leny Andrade, Cristiano Pinho, Geraldo Brito e Luisão Paiva. Suas versões homenageando Luiz Gonzaga, Jackson do Pandeiro, Djavan, Smiths, Lokua Kanza e The Police alcançaram grande sucesso. Atualmente, o músico prepara seu segundo CD, que traz samba, jazz, música eletrônica e nordestina.

RADIOFÔNICOS
Conhecida como Capitão Guapo até 2006, a banda Radiofônicos mudou de nome como forma de amadurecimento, sem mudar sua tendência ao rock’n’roll. Com influência de bandas dos anos 60 e 70, como Mutantes, Deep Purple e Big Star, há dez anos a formação vem ganhando destaque regional e nacional. A formação traz Henrique Douglas (voz e guitarra), Humberto Alexandre (bateria), Renato Chaves (baixo) e Thyrso Marechal (guitarra) e deve lançar seu novo CD (Esse som é radiofônico) ainda este ano.

ACESSO
Com cinco anos, a banda é um dos grandes nomes da música do Piauí. A banda nasceu em meados de 2001, no Chapadão (mais importante festival de música da capital do Piauí). Em Teresina, o reconhecimento se deu através da participação nos mais renomados festivais daquele ano na cidade: THE Music e Tribus Rock. O Acesso fez participações especiais junto a cantores e bandas conhecidas nacionalmente: Ana Carolina, Kid Abelha, Paralamas do Sucesso, Engenheiros do Hawaii, Tihuana, Tribo de Jah, entre outros.

FULLREGGAE
Banda de reggae/roots, foi idealizada e formada em 2001. A banda participou de vários eventos, como o Tribos Rock, em Parnaíba e todas edições do Luau Roots, além de fazer o show de abertura para a banda maranhense Tribo de Jah, em 2002, e de nomes como Lulu Santos e Jota Quest. A banda foi lançada oficialmente em rede nacional através dos programas de rádio dedicados ao reggae, produzidos por grandes nomes da cena nacional, como Fauzi, o líder da renomada Tribo de Jah, e no programa Cidade Reggae, produzido e apresentado por Fernando Costa e Da Gama, da Cidade Negra.

VALIDUATÉ
O grupo nasceu em União em 1999, com o nome de "Papel di Parede" e hoje já se apresenta em vários pontos do Estado. Foi em 2003 que a banda realmente apareceu mais fortemente, com participação no Festival Chapada do Corisco, conseguindo chegar à fase final com destaque. O mesmo ocorreu nos dois anos seguintes.
Com a experiência dos festivais e com um som mais amadurecido, a Validuaté vem tentando se consolidar na cena musical piauiense, com uma música que une elementos regionais e universais, mesclando gêneros como forró, reggae, funk, rock, samba e outros, sem querer se prender a um rótulo.

VEIA SÔNICA
A banda de rock Veia Sônica nasceu em 2003. Logo no início de 2004 entrou em estúdio para trabalhar seu primeiro CD, que leva o nome da banda e mostra um som próprio, mesclando as influências de cada integrante, basicamente o rock e a MPB. O repertório, 100% com letras, músicas e arranjos da Veia Sônica, mostra algumas músicas com batida mais funk, outras mais rock, tem reggae e balada. Mas o que predomina é rock, que é a base das músicas com suas alterações.

RORAIMA
Filho de maranhenses, nascido no estado de Roraima, mas com o coração piauiense. O cantor e compositor Roraima já lançou dois álbuns solo, e um em parceria com Sergio Matos, (violinista e compositor piauiense), além de compor também trilhas para teatro e jingles comerciais. Roraima respira música, suas composições feitas em parcerias com diversos compositores e músicos dão vazão a uma produção rica em influências e ritmos, que passam por mpb, reggae, baião até o rock. É um dos destaques do "Tramavirtual" e já dividiu palco e abriu shows para diversos nomes da música nacional, como Chico César, Fátima Guedes, Zeca Baleiro, Paralamas, Djavan, Tunai, Tom Zé, Flavio Venturine, Claudio Nucci, Rita Ribeiro e Sergio Brito (Titãs).

TEÓFILO LIMA
Já disseram que ele surpreende pela facilidade de fazer músicas saborosas. E com razão. Ele é um dos grandes nomes da música pop do Piauí e os ritmos regionais como o forró e o baião, latinos e outras sonoridades internacionais, como o reggae e o blues estão presentes no seu trabalho, regado a pegada rock´n roll.Depois do sucesso crescente do primeiro disco, “Teófilo Com Fusão”, a ansiedade pelo segundo álbum do piauiense Teófilo Lima só vinha aumentando. Depois de fincar hits como “Pedra do Sal”, “Beijos e Cacos”, “A Volta do Zorro”, agora é a hora do “Matulão”, seu segundo CD, ser aberto e trabalhado.
Teófilo acha que o “Matulão” é semelhante à linha musical do “Com Fusão”, só que “a pitada de rock está um pouco maior dessa vez, um pouco mais agressivo em algumas músicas”, explica.

KARRANKA
O KarranKa surgiu no final de 2004, e desde o início teve como proposta um trabalho inovador e profissional. Tem como idealizador Danilo Rêgo, vocalista, guitarrista e compositor, que já tinha um trabalho reconhecido pelo público e mídia locais. A banda segue a linha do pop-reggae, com forte influência de rock e blues, priorizando sempre o trabalho autoral. Apesar do pouco tempo de existência, já realizou importantes apresentações, abriram show dos Paralamas do Sucesso em Teresina.

Fonte-piauisampa